• Facebook Page: 100000238138589&ref=ts
  • Twitter: ifscgaspar

acesso informacao

Curso de Modelagem do Vestuário promove desfile que homenageará estrelas da música pop PDF Imprimir E-mail

No próximo dia 6, quando se comemora os nove anos do Câmpus Gaspar, o curso técnico em Modelagem do Vestuário irá promover o desfile “Estrelas da música pop”, às 19h30, no auditório. Os formandos do curso técnico em Modelagem do Vestuário irão apresentar looks que foram inspirados em artistas da música pop como Kate Perry, Selena Gomez, Rupaul e Erasmo Carlos. Nesta noite, terá ainda apresentação da cantora Heloíse Testoni (participante do The Voice Kids) e de saxofone com Bethânia Dickmann e performance inspirada na madona com Olenka Close. O evento é gratuito e é aberto ao público.

 



O estudante Bruno Danielski irá apresentar um vestido inspirado em um look da cantora Katy Perry. “Eu a escolhi porque ela está em constante mudança. O vestido tem um decote bem acentuado e um laço de destaque na lateral. Eu nunca tinha tido experiência na área de modelagem e agora pretendo fazer o curso superior de Design de Moda do Câmpus Gaspar.”



A formanda Dariane Borges também quer continuar estudando no IFSC. “Eu já havia trabalhado no setor têxtil, mas nunca com costura. Eu aprendi a colocar linha na máquina em um curso de qualificação que fiz no IFSC, isso me motivou a se inscrever para o técnico em Modelagem e quero fazer o curso superior. Para esse desfile, a peça que eu fiz foi inspirada em uma usada pela Selena Gomez em um videoclipe. É um corselet e uma saia pretos e com rendas. Minha modelo será minha irmã e a exigência dela é que eu fizesse um vestido que ela pudesse usar na sua formatura.”

 


Rosicleia Borges irá homenagear Rupaul no desfile. Ela se inspirou em um vestido preto e vermelho utilizado pela artista. “Eu usei duas técnicas diferentes no vestido, tanto evasé quanto drapeado. O mais desafiador para mim foi aplicar as medidas na modelagem 3D. Nós tivemos que estudar a modelagem norte-americana para conseguir colocar na padronagem utilizada no Brasil, chegamos a fazer cinco testes até chegar no modelo final. Sou professora da educação especial e quero fazer o curso de Design de Moda porque eu vejo que há um déficit no mercado de roupas pensadas para quem tem mobilidade restrita e membros atrofiados.”



Por Beatrice Gonçalves | Jornalismo IFSC

 

Para visualizar PDF você precisa do Adobe Reader: Clique aqui para baixar.