• Facebook Page: 100000238138589&ref=ts
  • Twitter: ifscgaspar

acesso informacao

IFSC e IFC recebem homenagem da Assembleia Legislativa de Santa Catarina PDF Imprimir E-mail

Nesta segunda-feira (4), a Assembleia Legislativa de Santa Catarina prestou homenagem pelos 10 anos de criação do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) e do Instituto Federal Catarinense (IFC). A cerimônia contou com representantes da reitoria e dos diretores dos câmpus do IFSC e do IFC, dentre eles a diretora-geral do Câmpus Gaspar do IFSC, Ana Paula Kuczmynda da Silveira.


"Ao longo desses dez anos, observamos uma expansão muito grande da nossa atuação e sobretudo uma interiorização da nossa oferta. Hoje IFSC e IFC estão em todas as regiões de Santa Catarina, o IFC com 15 unidades e o IFSC com 22, o que totaliza 37 unidades em todo o estado. Isso nos permite chegar a arranjos produtivos bastante diversos, o que contribui para a redução das desigualdades regionais e para atender aos diversos públicos que chegam até nós. Essa homenagem é o reconhecimento da nossa importância enquanto rede e como instituições de ensino que são fundamentais para o desenvolvimento do estado, da economia e para a inclusão social. O que contribui para que tenhamos uma sociedade mais justa”, avalia a diretora-geral do Câmpus Gaspar.


Proposta pelo deputado estadual César Valduga, a solenidade contou com a presença da reitora do IFSC, Maria Clara Kaschny Schneider, do reitor substituto do IFC, Fernando José Garbuio, de diretores dos câmpus e dirigentes das duas instituições, representantes dos alunos e da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc).


Valduga destacou que a homenagem foi proposta devido à contribuição dos dois institutos para a educação em Santa Catarina e o desenvolvimento econômico e social. Segundo ele, a diversificação da cadeia produtiva no Estado necessita de formação de trabalhadores qualificados, papel desempenhado pelos institutos. “Homenageamos os institutos pelos préstimos ao nosso Estado, a contribuição ao desenvolvimento das regiões, a formação cidadã e a inclusão social a partir da oferta da educação pública, gratuita e de qualidade”, destacou o deputado. “Sem dúvida, o Estado e o Governo Federal precisam fortalecer cada vez mais essas instituições”, completou.


As duas instituições contabilizam cerca de 55 mil alunos no total, em 37 câmpus, sendo 22 do IFSC e 15 do IFC, atendendo a todas as regiões do Estado, com cursos de qualificação profissional, técnicos, de graduação e pós-graduação.


A reitora Maria Clara Kaschny Schneider lembrou que a história do IFSC iniciou-se em 1909, a partir de decreto do então presidente Nilo Peçanha, determinando a criação de escolas de aprendizes e artífices para atender aos jovens “desvalidos da sorte e da fortuna”. Destacou que, em mais de um século, a instituição vem atuando fortemente na formação profissional, na inclusão e na transformação social.


Nos últimos 10 anos, toda a rede passou por um processo de expansão, passando de 140 câmpus no Brasil para mais de 640, e de 120 mil estudantes para mais de um milhão. “Isso é muito bom, pois, como servidores públicos, temos a convicção e a comprovação de que a educação transforma a vida das pessoas e a vida do país. Por isso, nesse momento difícil que passamos, continuamos firmes e fortes, acreditando que a educação pode mudar e transformar”.


Ainda segundo Maria Clara, é satisfatório observar a inclusão promovida pelos institutos, pois muitos dos alunos formados são de famílias que nunca tiveram acesso à educação técnica e superior. A reitora também ressaltou a importância da parceria com as instituições e o poder público, como a Alesc, prefeituras, governo federal e parlamentares para o fortalecimento e expansão dos institutos federais. Também dedicou a homenagem aos servidores e alunos, que podem fazer a diferença em suas comunidades.


O reitor substituto do IFC, Fernando José Garbuio, lembrou ainda da necessidade da interiorização do ensino: “Anteriormente a 2009, quando você quisesse estudar em um curso superior em uma instituição de ensino federal em Santa Catarina, teria que vir a Florianópolis. A partir de 2009, com a criação dos institutos federais, da própria Universidade Federal da Fronteira Sul e expansão da UFSC, oportunizou-se para que estudantes de interior do Estado também tivessem acessos à educação federal”.


Os reitores receberam placas comemorativas e todos os diretores de câmpus foram homenageados com diplomas.

Por Carla Algeri | Jornalista do IFSC | Com informações da Agência Alesc

 

Para visualizar PDF você precisa do Adobe Reader: Clique aqui para baixar.